Se a sua casa (ou ambiente comercial, por que não?) precisa de uma repaginada, considere outras soluções antes de partir para a reforma. Uma delas – e super em alta – é a street art, que evoluiu para além das ruas e vem ganhando cada vez mais os espaços particulares (e não em forma de quadros!).

Utilizar expressões da arte urbana dentro de casa, além de conferir um ar moderno e absolutamente exclusivo, é também um grito de personalidade e ousadia. Muitos detentores de técnicas artísticas de rua, como o grafite, o stencil e a aerografia, já perceberam a força da tendência e passaram a oferecer seus serviços para quem valoriza intervenções como essas. Uma das grandes vantagens diz respeito à customização: é possível deixar tudo à imaginação do artista, ou ao gosto do dono do imóvel. Isso, com uma pegada inconfundível dos anos 1970.

O designer gráfico curitibano André Mendes, que já assinou diversos murais urbanos em Curitiba (não é difícil identificar seu traço pela cidade), é um exemplo. Ele foi o responsável por criar a arte vista no chão da residência do publicitário Carlos Deiró. Quem viu, atesta: tem tudo a ver com a alma jovem e cheia de festa do dono da casa. “A arte ocupa toda a minha sala, que antes era revestida por madeira. À época, o André pesquisava por novos materiais e fez uso de uma espécie de resina desenvolvida por um designer italiano. O piso demorou cerca de quatro dias para ficar pronto e tem uma paleta de cores bem variada, onde o azul predomina. É realmente um privilégio ter uma intervenção como essa dentro de casa”, diz o publicitário.

andre-mendesIntervenção em resina de poliuretano flexível assinada por André Mendes no Museu de Arte Contemporânea do Paraná (MAC).  Foto: Divulgação André Mendes.

No restaurante Lagundri, no centro de Curitiba, também é possível se deparar com uma arte urbana indoor, assinada pelo artista Jorge Galvão, cuja carreira começou em 1998 pelas ruas da capital paranaense. A ilustração, que ocupa uma parede inteira do restaurante e se funde ao salão, é capaz de despertar impressões que aguçam ainda mais a sensibilidade de quem gosta de viver, por inteiro, a boa gastronomia.

lagundriEm uma das paredes do restaurante Lagundri, a obra do artista Jorge Galvão. Foto: Divulgação Flickr Lagundri.

Para quem ainda não alcançou esse nível de arrojo, mas está aberto a experimentar o conceito, pode se inspirar no que fez o designer e grafiteiro carioca Tito Senna, um dos nomes atuais mais lembrados quando o assunto é produção de arte urbana. Para um dos ambientes em exposição na edição Rio de Janeiro da mostra Morar Mais Por Menos 2016, ele transpôs seus traços do consagrado padrão Rede para painéis em MDF da Guararapes, que atuam como detalhes que dialogam facilmente com outros elementos decorativos.

O designer e grafiteiro carioca Tito Senna customizou painéis em MDF da Guararapes, que podem ser visto na edição Rio de Janeiro da mostra Morar Mais Por Menos 2016. Nessa edição, a Guararapes patrocinou três ambientes.