A estética tropical está evoluindo, com aplicações que vão desde os produtos até a arquitetura e o varejo. Mais imersiva, tendência ganha contornos abstratos

Matas, flores, animais, ilhas, plantas tropicais, entre outras referências, estão influenciando o mundo do design e da arquitetura. E não há nada de caricato nessa abordagem. Os ambientes urbanos estão sendo invadidos pelas “selvas”, criando uma onda tropical capaz de injetar boas vibrações no dia a dia das pessoas. É importante salientar que essa tendência representa muito mais do que apenas levar a natureza para dentro de casa.

Um estudo da consultoria WGSN aponta que essa proposta ganha diversas aplicações nos projetos de interiores. Aliás, tem ido além disso! “Marcas e profissionais estão usando meios naturais e artificiais para recriar os trópicos. Cada vez mais, arquitetura e design desejam que o interior e o ar livre se comuniquem”. Para compreender esse cenário, fomos buscar algumas inspirações da onda tropical. Confira!

flowers-power-decorFolhagens, animais e elementos da natureza trazem vibrações tropicais para a decoração. Foto: Divulgação Pinterest.

TROPICAL ABSTRATO E O PODER DAS FLORES
As flores viram a principal referência e instrumento de inspiração para muitos artistas. Eles combinam diversas técnicas com elementos que integram o tropical, como mar, vegetação e até animais – criando um décor bem versátil. Esses elementos também ganharam força na moda, nas cerâmicas e na aplicação de quadros e telas. Na decoração de interiores, a ideia não se resume aos pequenos prints florais e pode ser aderida a qualquer estilo, do boho ao escandinavo, do shabby chic ao maximalista.

Já a dupla de artistas, Pinar Demirdag e Viola Renate, utilizou a natureza e realidade aumentada para criar uma coleção de porcelana projetada para a Seranit. Juntando natureza e tecnologia, elas escolheram dez pedras naturais e mármores extraídos na Turquia e deram um toque digital. A técnica possibilita que o espectador seja transportado a outros mundos quando estiver cercado por produtos da marca. Por meio das suas obras, as artistas exemplificam que o tropical pode ser menos óbvio e mais abstrato.

pinarviola-seranit11Foto: Pinar & Viola projetam um novo nível de exploração do ar tropical por meio da tecnologia. Foto: Divulgação Pinar & Viola.

TROPICALIDADE NA ARQUITETURA
Quem achou que o Brasil ficaria de fora dessa tendência, se enganou. Afinal, faz parte do DNA do nosso país. Temos bons exemplos dessa aplicação na arquitetura, sem nenhum traço caricato. O “design de selva”, presente no trabalho dos Irmãos Campana é um deles. Em São Paulo, eles assinam o projeto de uma casa revestida de cima a baixo em palha de piaçava desgrenhada. A estrutura, explicam, é inspirada nas habitações indígenas. A fibra utilizada incorpora o aspecto tropical ao espaço arquitetônico, conferindo elegância e sofisticação ao design.

private-house-studio-campanas-sao-paulo Os Irmãos Campana usaram fibras de palmeiras para proteger a construção do calor tropical. Foto: divulgação Studio Campana.

Outro exemplo é a “Casa na Mata”, localizada no fundo de uma área de Mata Atlântica no Guarujá (SP).

Co-autoria dos arquitetos Marcio Kogan (Studio MK27) e Samanta Cafardo, ela chama atenção pelos elementos de integração. A implantação da casa nessa paisagem teve o objetivo de potencializar a conexão entre a arquitetura e a natureza. Ela também privilegia a vista para o mar e a incidência de luz solar nos espaços internos, e seu telhado parece ficar acima do dossel da floresta.

De acordo com Samanta, “quando você está dentro da casa, a conexão com a vegetação circundante acontece de várias maneiras. No piso térreo você pode passear em meio às árvores, no primeiro andar a luz é filtrada pelas copas das árvores. E no último andar a vegetação forma o pano de fundo junto com a vista do mar”.

Segundo a WGSN, prevalece a ideia de que o foco das casas está mudando: “Os espaços passam a ser construídos de dentro para fora”. Veja mais indicativos de que o “verde” veio para ficar.


studio_mk27
Casa na Mata potencializa a conexão entre a arquitetura e a natureza. Pontos de contato valorizam vegetação, ar e iluminação. Foto: Fernando Guerra | FG+SG.

INSETOS PARA TODO O LADO
Por meio das suas lentes, o fotógrafo francês Pascal Goet faz com que as pessoas deixem a repulsa de lado e passem a admirar os detalhes dos insetos. Na verdade, sua obra revela uma riqueza de formas, texturas e cores inigualáveis.

Com a hospitalidade em mente, a Moooi também criou uma atmosfera de atenção aos detalhes durante a edição 2017 da Design Week em Milão, na Itália. Os produtos da marca foram expostos o lado de grandes fotografias de insetos, para provar que nenhum detalhe é pequeno demais.

moooi_extraordinary-2 As imagens dos insetos oferecem uma linguagem delicada e estranha, mas que reflete uma vida extraordinária, diz Marcel Wanders, diretor criativo da Mooi. Foto: divulgação Moooi.

MARCAS TROPICAIS
As empresas também apostam nesse conceito, utilizando meios artificiais para recriar os trópicos. A marca de óculos South Korean Gentle Monster, além dos produtos em si, apresentou o Daydream Oasis, em Seul. Nada mais é do que uma piscina exterior em relevo, com tecidos de prata e palmeiras brilhantes, deixando o espaço surreal aos olhos dos apreciadores.

Os espaços de varejo da marca também apostam na ideia de recriar um clima tropical e de outras estações. Inclusive, a marca fez algo parecido em Nova York (EUA), transformando uma loja pop-up em uma experiência subaquática, inspirado no oceano.

gentle-monster-nycElementos e cenários tropicais invadiram a moda e chegaram ao décor e ao varejo. Objetivo é propiciar bem-estar e conexão com as pessoas. Foto: divulgação Gentle Monster.

Gostou? Vai buscar mais inspirações para o design de interiores? Então confere esse post sobre o conceito de brasilidade e também como incorporar os painéis de MDF na decoração e nos móveis.